Por que Bertioga?


Do ponto de vista dos estudos do Quaternário, o município apresenta, em uma estreita planície costeira, quase todos os tipos de ambientes sedimentares existentes no litoral brasileiro, e cuja evolução foi fortemente condicionada por oscilações eustáticas e eventos tectônicos em meio a variações climáticas globais.



Como consequência, também a sua biodiversidade é bastante grande, com ecossistemas representativos de praticamente toda a costa brasileira.

Graças à preservação ambiental de cerca de 75% do município de Bertioga, foi possível a criação de unidades de conservação integral, como o Parque Estadual da Restinga de Bertioga, uma das mais importantes unidades em planície costeira do Brasil, e o Parque Estadual da Serra do Mar, que preserva a Floresta Ombrófila Densa.

Ambos integram o bioma Mata Atlântica e Ecossistemas Associados, reconhecido pela UNESCO como Reserva da Biosfera. Esses remanescentes relembram a mesma paisagem encontrada pelas primeiras expedições colonizadoras do Brasil, que chegaram à região de São Vicente-Santos (Bertioga pertencia a Santos até 1992) e ergueram ali o primeiro governo colonial (capitania) e os primeiros fortes do Brasil.

Atualmente, A Região Metropolitana da Baixada Santista reúne o maior complexo portuário da América Latina, o complexo polindustrial-petroquímico de Cubatão e as maiores taxas de adensamento e crescimento urbano de todo o litoral paulista.